O QUE É A ENERGIA ACTIVA ?

 

O QUE É A ENERGIA REACTIVA ?

 

 

Quando é aplicada tensão a uma resistência (como, por exemplo, um irradiador), surge nesta uma corrente eléctrica. Esta situação corresponde ao fornecimento de energia eléctrica que é dissipada sob a forma de calor. Em corrente alternada, designa-se esta energia eléctrica por energia activa.

 

Quando se aplica tensão a um motor eléctrico, o rótor deste põe-se em movimento, o que corresponde a uma transformação de energia eléctrica em mecânica. Para que esta transformação seja possível, há uma produção intermédia de energia electromagnética. Além disto, parte da energia recebida pelo motor é perdida em atritos (entre o rótor em movimento e o ar e também entre o veio e a carcaça da máquina) e em calor, devido à passagem da corrente nos condutores eléctricos do motor. Em corrente alternada, distinguem-se duas formas de energia eléctrica : as energias activa e reactiva. A energia reactiva corresponde à energia armazenada nos enrolamentos do motor sob a forma de energia magnética e produz o campo magnético que origina o fluxo magnético necessário ao funcionamento da máquina. É uma energia não dissipada. No entanto, uma corrente associada à sua existência circula entre a rede de alimentação e o motor (corrente reactiva ou componente reactiva da corrente total). Esta energia não é contabilizada nos contadores de energia (activa) usados nas habitações, mas existem contadores de energia reactiva para os utilizadores industriais. Os utilizadores têm a possibilidade de diminuir a energia reactiva contabilizada (diminuindo assim as despesas de energia) fazendo a chamada compensação do factor de potência, usando para o efeito condensadores que são ligados em paralelo com o motor ou com a rede.

 

A restante parte da energia eléctrica fornecida ao motor é a energia activa. Esta energia vai dar origem às já referidas perdas por atrito, às perdas por efeito de Joule (aquecimento dos condutores, devido à passagem da corrente) e à chamada energia útil, que corresponde à utilização normal da máquina ou seja, energia mecânica que é aplicada a outra máquina sob a forma de movimento rotativo. A energia activa é contada nos contadores de energia activa, do tipo dos existentes nas habitações.

 

Em todos os aparelhos eléctricos dotados de bobinas surge a energia reactiva. É o caso, por exemplo, das lâmpadas fluorescentes, para cujo funcionamento é necessária uma bobina, chamada balastro. Também aqui é possível compensar a energia reactiva com um condensador, podendo ser feita a compensação individual de cada lâmpada ou de associações de grupos de lâmpadas ou de todas elas. Nas lâmpadas de incandescência, assim como em todos os aparelhos funcionando com base na utilização de resistências, não se produz energia reactiva, sendo activa toda a energia utilizada, como se disse no princípio.

 

Outro tipo de aparelhos onde se origina energia reactiva é nos condensadores. Normalmente, os aparelhos de utilização corrente não são condensadores, mas sim resistências ou bobinas, como se tem vindo a referir, pelo que a questão da energia reactiva se coloca apenas em relação às bobinas. No entanto, pelo facto de os condensadores armazenarem energia reactiva e por ela ter características opostas à da energia reactiva nas bobinas, proporciona a utilização dos condensadores para a compensação da energia reactiva, como se explicou.

 

Quero saber mais

 

Voltar a O que é ... ?

 

Voltar ao Índice geral