O QUE É A POTÊNCIA ELÉCTRICA ?

 

 

 

Define-se energia como a capacidade de produzir trabalho.

 

Potência é a energia fornecida, recebida ou gasta por unidade de tempo.

 

Em electricidade há várias potências.

 

 

Corrente contínua

 

Em corrente contínua existe apenas uma potência. Representa-se por P e determina-se pela expressão P = U I, em que U é a tensão eléctrica e I a intensidade de corrente eléctrica.

No caso de um gerador, esta potência representa a potência que ele fornece.

No caso de uma resistência, representa a potência por ela dissipada. Neste caso, aplicando a lei de Ohm, segundo a qual U = R I, obtém-se uma nova expressão para a potência :

P = U I = R I2.

A potência P exprime-se na unidade Watt (W).

 

 

Corrente alternada

 

Em corrente alternada há diversas potências.

 

Uma delas é a potência instantânea p. É a potência fornecida ou recebida em cada instante. Determina-se através da expressão p = u i, em que u é a tensão eléctrica instantânea e i é a corrente eléctrica instantânea. O instante considerado é o mesmo para as três grandezas.

A unidade desta grandeza é o Watt (W).

 

 

Receptores resistivos puros

 

Os receptores resistivos puros (resistências) apenas têm capacidade de dissipar energia, não podendo armazená-la. A potência que dissipam chama-se potência activa. Determina-se pela expressão P = U I, em que U representa o valor eficaz da tensão eléctrica aplicada à resistência, I representa o valor eficaz da intensidade de corrente que a percorre e

P representa a potência activa dissipada, expressa em Watt (W).

 

 

Receptores indutivos puros e capacitivos puros (ideais)

 

Os receptores indutivos puros e os capacitivos puros têm a capacidade de armazenar energia e, sendo puros, não têm perdas. Essa energia armazenada chama-se energia reactiva, a que corresponde a potência reactiva. Representa-se por Q. Determina-se a partir da expressão

Q = U I sen φ, em que U representa o valor eficaz da tensão eléctrica aplicada, I representa o valor eficaz da intensidade de corrente, φ é o ângulo de desfasamento entre a tensão e a corrente e Q representa a potência reactiva, expressa em Volt-Ampère reactivo (VAr).

Esta potência também se pode determinar a partir da expressão Q = U I sen φ = X I2sen φ em que X representa a reactância (indutiva ou capacitiva) do receptor.

 

Nestes receptores a potência activa tem o valor zero. Nos receptores resistivos puros a potência reactiva tem o valor zero.

 

 

Receptores indutivos e capacitivos (reais)

 

Os receptores indutivos reais e os capacitivos reais têm a capacidade de armazenar energia e além disso têm perdas. Nestes casos existem as potências activa e reactiva.

A potência activa determina-se por P = U I cos φ , em que cos φ  é o chamado factor de potência.

A potência reactiva determina-se por Q = U I sen φ.

O conjunto das potências activa e reactiva fornecidas (ou recebidas) a um destes receptores é outra potência designada por potência aparente. Esta potência representa-se por S, determina-se a partir de S = U I e exprime-se na unidade Volt Ampère (VA). Também é possível determinar S através da expressão S = U I = Z I2, em que Z é a impedância do receptor ou receptores.

Existe uma relação entre estas três últimas potências, dada  por .

 

 

Quero saber mais

 

Voltar a O que é ... ?

 

Voltar ao Índice geral